Porto Elimina a Juventus em Jogo Épico

Hoje foi dia de Champions League, o jogo escolhido (que sorte!) foi Juventus 3 x 2 Porto. No tempo regulamentar 2 a 1 Juve, devolvendo o placar do jogo de ida, e na prorrogação, 1 a 1. Dessa forma, pela regra do gol qualificado, o Porto conseguiu sua classificação mesmo atuando com um jogador a menos desde o começo da segunda etapa.

A partida foi excelente taticamente, e emocionante no final, tivemos todos os ingredientes de um espetáculo inesquecível.

Interação Tática Inicial

A Juventus iniciou o confronto em desvantagem por ter perdido o jogo de ida. Subiu seu bloco de marcação, tentou sufocar a saída de bola do Porto, que tentava sempre explorar o desenho da Juve desfeito para avançar ao ataque e criar suas chances.

Sem a bola, o Porto se defendia com bastante compactação, os extremos voltavam para compor a linha defensiva, e frequentemente víamos uma linha defensiva com seis jogadores.

O grande problema para o Porto era que apenas quatro jogadores ficavam responsáveis pelo primeiro combate, e começaram aparecer espaços na origem da jogada. Essa organização do time de Sérgio Conceição defendia bem das inversões longas, mas deixava muito espaço nas costas da defesa.

Assim, explorando essa brecha a Juventus criou duas boas chances ainda no primeiro tempo. Entretanto, quem abriu o placar foi o Porto. Após boa troca de passes dentro da área Taremi foi derrubado na área, e o juiz marcou penalti. Sérgio Oliveira bateu bem e colocou o Porto na frente.

Drama Final

Logo no começo do segundo tempo, as coisas começaram a mudar. Após cobrança de escanteio da Juventus, a bola sobrou para Chiesa que empatou a partida.

Cinco minutos depois, Taremi chutou a bola após o apito do árbitro, levou o segundo amarelo e deixou o Porto com um jogador a menos.

Na sequência a Juventus passou a forçar a mesma jogada, onde tinha vantagem ofensiva. Combinou liberdade na origem da jogada (por conta da superioridade numérica) e o espaço nas costas da defesa. Insistiu nessa jogada e conseguiu a virada.

Porém, na sequência do jogo, a Juventus deixou de explorar sua principal vantagem. Passou a empurar a defesa do Porto para sua área e tentar os cruzamentos, que acabaram favorecendo a defesa em sua grande maioria.

Além disso, o comportamento se repetiu na prorrogação, a Juventus havia deixado de explorar a jogada que havia lhe rendido o segundo gol.

Enquanto isso, o Porto lutava como podia. Mesmo com um jogador a menos, o time lutava, tentava atacar a Juventus, e foi premiado. Criou uma excelente chance no primeiro tempo da prorrogação, após cobrança de escanteio e jogada individual de Jesus Corona, para finalização de Marega.

O Porto com um jogador a menos levou mais perigo do que a Juve na prorrogação.

A Juventus mais relaxada em campo, não acelerava o jogo, e sempre que tentava finalizar, parava na forte marcação do Porto. Foi então que numa dessas chances desperdiçadas, o Porto conseguiu avançar em campo e sofreu a falta. Na cobrança, Sérgio Oliveira mandou uma pancada de longe, a barreira se desmantelou toda em sua frente, e Szczesny não conseguiu chegar a tempo, gol o Porto.

Logo na sequência, escanteio para a Juventus e Rabiot marca de cabeça. Os minutos finais foram de muita emoção, mas a Juventus não conseguiu superar o Porto. Classificação heróica que entrará para a história.

Análise Completa

No vídeo abaixo você vê o jogo completo com a minha análise em tempo-real. Fui comentando o jogo minuto a minuto, explicando o comportamento das duas equipes. Esse é um dos bônus do Curso de Análise Tática, o vídeo está disponível apenas para alunos(as), inscreva-se aqui.

Como de costume, aproveitei para validar minha previsão do jogo no mercado de apostas esportivas. Excelente forma de me manter focado em fazer uma leitura de jogo o mais prática possível e próxima da realidade.

Parabéns ao Porto!

Grande abraço e até a próxima!

Curso de Análise Tática

Gostou? Compartilhe esse texto!