Ataque Posicional do Palmeiras de Abel Ferreira

Uma das cartas na manga de Abel Ferreira é o ataque posicional do Palmeiras.

Quando o adversário está bem postado atrás, o que fazer?

Esse tem sido o dilema de muitas equipes brasileiras. Não é o caso do Palmeiras de Abel Ferreira.

Atacar o adversário em bloco baixo, exige coordenação coletiva. Esse é o ponto que mais me chama a atenção, e sempre rende boas análises.

Essa vantagem que as comissões técnicas podem criar nasce na criação da estratégia, mas passa por conseguir executá-la em campo. Ou seja, fazer com que os atletas sigam o plano.

É um desafio grande!

No jogo contra o Juventude, o Palmeiras mostrou tudo o que um bom ataque posicional precisa.

Organização Inicial

Ataque Posicional do Palmeiras - Organização Inicial

Saída de três, com objetivo de criar uma linha de passe por fora do bloco, para ajudar na manutenção da posse de bola, e inverter o jogo. Além de reduzir a exposição ao contra-ataque.

Meio-campistas nas costas. Tanto o Scarpa quanto o Zé Rafael (Veiga não jogou), se posicionam nas costas dos seus marcadores. Isso é determinante para criar vantagem depois que a jogada é iniciada.

Danilo centralizado. O objetivo é tentar atrair a marcação do volante, para que ele não faça a cobertura no Scarpa e no Zé Rafael.

Extremos recuados. Dudu e Jorge não avançam até a altura da linha defensiva. O objetivo é atrair a marcação dos laterais quando a jogada chega. Criando espaço para a sequência da jogada.

Centroavantes prendendo os zagueiros no corredor central. O objetivo é atrair a marcação para que os zagueiros não saiam na cobertura dos laterais que subirem para pegar os extremos.

Dinâmica do Ataque Posicional do Palmeiras

A chave para iniciar a jogada era o Scarpa escapar do volante. Assim, no lance abaixo, com a marcação encaixada o Palmeiras não acelera o jogo. Recua, se reposiciona e tenta criar espaço novamente.

Jogada neutralizada

Uma jogada iniciada com esse encaixe favoreceria a defesa. Então, o Palmeiras usa a linha de três para recuar o jogo com segurança.

Assim, mantém a bola e tem liberdade para se reposicionar.

O gatilho para iniciar a jogada é quando um dos meio-campistas escapa do volante adversário. Nesse caso o Scarpa está pronto para receber nas costas do lateral que vai subir no Dudu.

Dessa forma, o time ganha o corredor para fazer o cruzamento. Veja a dinâmica do ataque posicional do Palmeiras no vídeo abaixo.


Gostou? Compartilhe esse texto!