Características de Jogos com Poucos Gols

Hoje vou falar sobre características de jogos com poucos gols. Resumidamente, existem cinco comportamentos marcantes em partidas com tendência para poucos gols.

Obviamente, existem outros aspectos específicos em cada jogo que podem determinar um placar menos elástico. Todavia, existem padrões táticos e comportamentos que tendem a se repetir em partidas onde o gol é escasso.

Dessa forma, resolvi fazer esse resumo com os cinco principais pontos para serem observados durante o jogo, para determinar se uma partida tem tendência a muitos ou poucos gols. O famoso “Jogo mais Under” para o pessoal das apostas esportivas.

Tentativas de Finalização Neutralizadas

Primeiramente, devemos analisar as vantagens e desvantagens de uma equipe em relação a outra. Como eu costumo sempre reforçar, muitas vezes durante o jogo, é difícil identificar o porquê das coisas, mas é fácil notar se essas coisas estão funcionando ou não.

Em outras palavras, é mais fácil identificar se uma tática de finalização está gerando (ou não) oportunidades de gol, do que entender os detalhes do porquê ela estar funcionando.

Jogos com Poucos Gols - Finalização Neutralizada

Em suma, jogos com poucos gols são aqueles onde as vantagens residem nos sistemas defensivos. As defesas levam vantagem sobre os ataques. Assim, neutralizando as tentativas de finalização, ou pelo menos oferecendo espaços para finalizações que não são tão perigosas.

Logo, mesmo que o número de finalizações possa até ser alto, não necessariamente será uma partida com muitos gols. Desde que sejam finalizações cobertas, pressionadas pela marcação, ou de regiões do campo mais distantes do gol.

Enfim, times que tendem a insistir em táticas de finalização que estão sendo neutralizadas pela defesa, não irão conseguir produzir chances claras de gol, mesmo que produzam um número significativo de finalizações.

Compactação Defensiva e Ausência de Marcação Pressão

Sem dúvida, uma interação tática que gera partidas sem muitos gols é quando ambas equipes abrem mão de fazer marcação pressão e adotam a compactação defensiva com muitos jogadores atrás da linha da bola.

Compactação Defensiva

Blocos de marcação recuados, compactados, com muitos jogadores, dificultam bastante as táticas de finalização. Dessa forma, alimentando as vantagens dos sistemas defensivos.

Além disso, não fazer a marcação pressão, fecha duas oportunidades de gol. Primeiramente, a equipe recuperar a bola no ataque com o adversário aberto em campo. Segundamente, a marcação pressão ser neutralizada e a linha defensiva ficar exposta.

Desse modo, quando esses dois comportamentos são combinados para montar os sistemas defensivos, nas duas equipes, a tendência é termos partidas com poucos gols.

Posse de Bola Horizontal

O terceiro ponto importante a ser observado é quando as equipes valorizam a posse de bola. Assim, trocando passes de lado, por fora do bloco de marcação adversário, fazendo o “recua-inverte”.

Posse de Bola Horizontal

Quando as equipes mantém a posse de bola na defesa e o adversário abre mão da marcação pressão, o looping da partida fica mais lento. As inversões de posse de bola, são menos frequentes, o que alimenta menos os ataques das equipes. Por último, diminuindo as tentativas de finalização.

A bola fica por muito mais tempo em áreas do campo que não são tão perigosas, ou produtivas em termos de criação de oportunidades de gol. Lembre-se, volume de jogo não necessariamente significa time dominante. Transformar o volume de jogo em chances claras de gol é tão importante quanto manter a posse de bola.

Baixa Exposição e Velocidade de Recomposição

O quarto ponto importante é identificar duas coisas, quantos jogadores passam da linha da bola para serem opção de passe na frente, e quando a bola é perdida, a velocidade de recomposição do bloco de marcação.

Jogos com Poucos Gols

Quanto menos jogadores passarem da linha da bola, menores as chances do time se expor a eventuais contra-ataques. Além disso, poucas opções de passe na frente, significa dificuldade na construção da jogada.

Quando os times se expõe pouco, e tem boa velocidade de recomposição do bloco de marcação. As vantagens defensivas tendem a ficar evidentes, e os ataques encontrarão dificuldades para encontrar espaços para finalizações abertas.

Peso do Jogo e Nível de Concentração

Por último, um aspecto fundamental, é entender o peso do jogo para as equipes. A responsabilidade em não sofrer gols tende a aumentar o nível de concentração dos atletas.

Por exemplo, em jogos de torneios mata-mata importantes, os times entram com um nível de concentração muito mais alto, se compararmos com uma partida amistosa, ou campeonatos mais longos de pontos corridos.

O alto nível de concentração tende a diminuir os erros individuais decisivos, aumentar a pegada nas disputas pela bola. Então, os espaços para criação tendem a ser mais raros.

Esses são os cinco pontos mais importantes a serem observados, quando precisamos identificar se a tendência é termos jogos com poucos gols.

Grande abraço e até a próxima!


Gostou? Compartilhe esse texto!